TRADUTOR

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O NOIVO QUE ESPERO.



O NOIVO QUE ESPERO.

Esta é uma historia de uma jovem, realmente cristã, que prefere esperar em Deus e ser feliz, que correr atrás da primeira perna de calça e ter seu futuro destruído.

Sua história e seus sonhos:
Ainda não vi o homem que Deus me destinou, mas sei que aparecerá no seu devido tempo.
Nas minhas orações, muitas vezes tenho perguntado ao Senhor como hei de reconhecer o jovem que Ele me preparou. Aos poucos, chega-me a resposta ao coração. Acho, agora, que conheço a característica  da pessoa com quem Deus me unirá em matrimonio.

PRIMEIRO: Deve ser uma pessoa convertida e verdadeiramente consagrada ao serviço de Cristo.
Não hei de pensar, nem por um momento, no jovem que mostra interesse nos cultos apenas com o objetivo de me enganar e conseguir a minha mão. A não ser que, primeiro, adquira hábitos profundos de oração pessoal e estudo bíblico, ele não estará em condições de ajudar-me  nos momentos críticos da minha vida.

SEGUNDO: O noivo que espero, por certo, há de me amar.
Tenho visto muitíssimos lares fracassados, que me levaram a verificar que sem verdadeiro amor, não pode haver felicidade duradoura.
Mas o amor, não bastara se o jovem que pretende minha mão carece de um oficio ou carreira definida e se não é diligente no seu trabalho, aplicado e formal nos seus compromissos.
Pouco importa a pobreza ao lado de um homem enérgico e trabalhado que me ame. Seria mil vezes preferível uma vida de luta à uma vida de luxo em companhia de um folgadão que apenas aprendeu a esbanjar a herança dos pais.

TERCEIRO: Hei de casar-me com um homem que merece o meu respeito, cuja palavra é certa, cujo compromisso cumpre fielmente.
O meu marido, em tudo, há de ser um pai digno.
Estou certa de que o matrimonio não muda a pessoa e, portanto, desejaria conhecer o caráter do meu futuro marido, não só no trabalho, mas também no seu lar. Sei que o jovem que não ama e não honra a sua mãe e seus irmãos tampouco saberá honrar-me  ou tratar-me com a devida delicadeza. Se é irresponsável em sua casa, como assumirá a responsabilidade do seu próprio lar?

FINALMENTE:  O noivo que espero há de oferecer-me uma um lar.
Mesmo que seja um ninho pequeno, o mais humilde, preferi-lo-ei as comodidades de uma mansão ocupada por outras pessoas. Não importa quão amáveis elas sejam, tais pessoas serão um estorvo permanente, e nos impedirão de desenvolver nossa vida de casados.

Enfim:
Acho que fui franca. Aos 18 anos, não é difícil sê-lo. Então, sente-se o irresistível desejo de que os jovens, nossos amigos, saibam o que na realidade pensamos deles. O mundo ainda não se acabou. Abrigamos grandes esperanças. Sou uma delas. ALÉM DISSO, SOU UMA CRISTÃ SINCERA E QUERO HONRAR AO MEU SALVADOR. Rogo que seja Ele a escolher o meu noivo, meu esposo e companheiro de toda a vida.
Peço-lhe que seja um jovem nobre em amor; nada menos que um reflexo do amor de Cristo nele, com sinto em mim.

“O Jovem que espero, por certo, Há de me amar. Deve ser uma pessoa convertida, consagrada. Ele me oferecerá um lar. Mesmo que seja um ninho pequeno, humilde, mas DEUS HABITARÁ NELE, e nós seremos felizes.”

Anônimo (Revista JC/1986)

Que o anseio dessa jovem, possa ser o anseio de todo jovem cristão, que se interesse em agradar ao seu Senhor, acima de tudo.
Se necessário, fique solteiro, mas não desagrade a Deus.

Cuiabá-MT, 23 de outubro de 2013.


Pr. Elias Souza & Quitéria.